3 de março de 2010

Não basta escutar, tem que se ouvir


Eu falho muito como mãe. Sei que toda mãe falha, mas eu pretendia fazer tudo certinho...
Pois é... pretendia mesmo. 
Ser mãe sempre foi um sonho meu, um sonho bem precoce eu sei, mas desde sempre eu amei crianças, mesmo quando era uma, e elas pareciam sempre gostar de mim também. Fazia mil planos para quando fosse mãe, pensava na educação que eu daria, o que ia copiar da minha mãe, o que eu ia melhorar e sempre quis ter uma menina.
Nunca imaginara ser mãe com 15 anos, mas aconteceu, e eu amei Isabelle mesmo antes de saber que ela existia.
Depois que soube que Isabelle existia dentro de mim, parei de fazer planos. Agora era a hora de executá-los, mas foi aí que me perdi. Já não pensava em como fazer, simplesmente ía lá e fazia.
Graças a infinita misericórdia de Deus, Isabelle não é só uma criança, ela é um presente. Quem convive de perto com a gente sabe que não é exagero de mãe coruja. Isabelle é uma criança à parte!
Se eu falar aqui as coisas que Isabelle fazia e a idade dela, ninguém acredita, então vou dizer apenas que ela também é meio precoce rs, andou cedo demais, desmamou sem dificuldades com 1 ano, parou de usar fralda descartável com 1 ano e 6 meses e detalhe, fazia as necessidades no troninho dela, ela NUNCA fez xixi na cama, ela é muito independente e com 2 anos tomava banho e se vestia sozinha =).
Bebel tem  duas caracteristicas bem peculiares, ela é extremamente carinhosa, meiga e cativante (impossível não amá-la ^^ ) e fala bastante. Ela começou a falar muito cedo, mas falar muito hehe, ela tem assunto que não acaba mais... E é aí onde eu quero chegar.
Ser mãe nos dias de hoje não é fácil, imagine ser mãe aos 15 anos rs. Mesmo após 10 anos eu ainda tenho que estudar, trabalhar, ser mãe, filha, irmã, amiga, namorada (quando rola de eu ter namorado =P)  e ainda ficar bonita hahaha. Ó pra isso! Mas o problema maior é quando Bebel exige mais tempo de mim, ela quer sempre conversar, e fala sobre tudo. Mas é T-U-D-O messsssssssmo!Quando a gente acorda pra ir pra escola e pega um ônibus lotado ela puxa conversa, quando estou no trabalho morrendo de aperriada com alguma coisa, ela quer me contar algo, quando estou em uma aula super importante ela me liga pra dizer que arrancou um dente ou que vai usar alguma coisa minha, quando chego em casa super cansada e querendo dormir ela ainda tá acordada e quer me contar um segredo. O ruim não é ela falar taaaaaanto, o problema reside no fato de eu não a ouvir. As vezes me pego escutando, escutando, escutando, mas no fim não ouvi nenhuma palavra do que ela disse. O outro lado de não escutar é que as vezes não levo muito à sério o que ela diz. E isso é mais comum do que eu podia imaginar. Ontem aconteceu um fato que me fez cair na real totalmente e vir aqui escrever tudo isso. 
Há algum tempo Bebel reclama de dor de cabeça, mas eu realmente nunca levei muito à sério, sempre digo que criança não sente dor de cabeça. E assim ia levando... Na segunda-feira marquei com o oftalmologista pra mim,  pois estou investigando uma maldita dor de cabeça que me atormenta, e  aí acabei marcando pra ela também, só por marcar mesmo, e porque ela me deu pressão pra marcar, disse que estava vendo umas luzinhas quando lia e etc. e tal.  Claro que eu não levava muito à sério, ela  já tinha me dito que queria usar óculos porque acha muito legal. Mas para a  minha surpresa (falando nela, ela aqui me ligando) descobrimos que ela tem astigmatismo e hipermetropia, ou seja, vai precisar usar óculos 8) quase 1 grau de cada lado.
Pra quem não sabe, problemas como a miopia, astigmatismo e hipermetropia são muito comuns em crianças. E os sintomas são exatamente esses que ela sempre me relatava. Para saber mais leia aqui.
Resultado: ela está toda feliz querendo dar a notícia pra todo mundo  eu morta de preocupada.Que coisa hein! Mas ainda bem que descobrimos cedo né!? A oftalmologista foi muito atenciosa, disse que o problema é comum em crianças na idade dela e com o uso correto dos óculos o grau vai regredindo. Agora só precisamos mandar fazer os óculos e voltar lá de ano em ano pra fazer o acompanhamento.
Mas aí fica o alerta! Precisamos ouvir mais nossos filhos e realmente atentar para as suas queixas.
A lição eu aprendi, agora é só Bebel me chamar que sou toda ouvidos rsrs.

Beijos Atrevidamente Doces

4 comentários:

  1. Realmente, acho que em todas as questões da vida, ouvir é essencial né?
    Estou seguindo seu blog, tah?
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Amei a estória de Bebel... amo minha aluna e sinto muita falta dela na minha sala, ah tenho outra virtude de Bebel, ela é uma aluna super atenciosa e carinhosa com a tia... Não me dá trabalho na sala... um exemplo!!

    ResponderExcluir
  3. ...ENXAQUECA * CEFALÉA * DOR DE CABEÇA
    Sou terapeuta em REFLEXOLOGIA,
    pelo IOR, 73 anos de idade com 40 anos dedicados ao estudo e pesquisa do comportamento humano. Tenho atendido vários portadores de ENXAQUECA, (DÔRES DE CABEÇA MUITO INTENSA).
    Aplicando as técnicas de REFLEXOLOGIA, consigo obter ótimos resultados; oferecendo assim uma excelente qualidade de vida aos clientes.
    A REFLEXOLOGIA consiste em ativar pontos específicos nos pés, desbloqueando canais
    de comunicação com o cérebro, para que este
    possa agir, corrigindo assim o problema.
    Não tem contra indicação para estes
    casos e não usa medicamentos
    Visite meu Site: www.djalma.com.br
    São Paulo SP ( Metrô Santana) BRASIL. :.

    ResponderExcluir
  4. Lindo demais,jow.Nunca é tarde para refletirmos sobre nossas atitudes. Acho que tens crescido mto como mãezona que és.Bebel é tua melhor amiga e companheira...e qnd ela crescer isso vai ser mto mais forte entre vocês =)
    ela é linda demaais
    =*

    ResponderExcluir